domingo, junho 13, 2010

Simple

Quem sou eu?! Uma pessoa simples! Gosto de acordar tomando champagne, acompanhado de caviar em um hotel com vista para a torre Eiffel... nua, usando apenas um hobby de seda chinesa, arduamente tecido pelos dóceis animaiszinhos em seu vai e vem habitual. Ao meu lado, de preferência a última capa de revista de moda masculina de sucesso, com seu membro entumescido, apenas esperando por um sútil estalar de dedos para servir-me. No gramofone de 1910, um vinil de Billy Holliday, ou talvez algo como a gralha de Piaff. Os resquícios da noite anterior se fazem presentes por toda a casa, em alguns minutos acionarei o sininho mágico e as serviçais se encarregarão da limpeza e ambientação para o começar do dia.... hummm... hoje acho q vou querer, deixa eu ver... Isso, oriente!!!! Mandarei vir uns tapetes e panos da loja do turco mão de vaca! Ele me adora, a última vez que fui lá me pediu em casamento, disse que eu teria que dividí-lo com apenas 6 esposas e me presentearia com jóias! Agradeci com um semi-sorriso... seus hábitos religiosos/culturais são incompatíveis com as minhas necessidades e métodos de satisfação. Além do que, eles não são muito queridos pelos franceses, o que certamente traria problemas para meu intenso círculo social, mas sua tapeçaria é realmente divina! É impossível deixar de notar em como são peludos os oriundos do oriente, realmente incrível. Jacques tem um corpinho de bebê, quase nenhum pelo e também não ronca, o que é ótimo! Eu sinto que ele gosta de mim, evidente que ele gosta mais do meu status, do dinheiro que posso lhe oferecer, festas, bebidas, pessoas que posso lhe apresentar, passeios de barco, viagens pelo litoral europeu. Jacques me preocupa, acho que ele deveria se preocupar mais com seu futuro, quando a data de validade de nossa relação expirar precisará ter conseguido algo sólido! Ontem Antoine comentou sobre o incerto futuro da França, crises financeiras, presidente fanfarrão, metrô, enfim, essas lamentabilidades que todos estamos cansados de ler no jornal. Quis mudar de assunto, pensei em gastar minha parca filosofia falando de Sartre, mas resolvi não arriscar... o álcool já estava elevando a todos e qualquer assunto despertava reações efusivas... além do que, acho esses filósofos chatos e demodês. Falando em demodês, Antoine começou um de seus assuntos prediletos, a anorexia no mundo da moda e como essas modelos vestem bem! Eu reparava no flerte entre dois rapazes, enquanto Antoine vociferava as futilidades doentias do pretê a porter. Jacques, entediado, começou a fazer seus malabarismos circenses. Plantou bananeira, depois começou a dar estrelas, na hora da estrela para trás, foi-se meu vaso de cerâmica egípcia. Ótima desculpa para voltar ao país. Quando se é muito rica, é preciso ter muita criatividade para não morrer de tédio...

0 Comentários:

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial